jusbrasil.com.br
23 de Outubro de 2019

A inserção do idoso frente às novas tecnologias.

Resumo expandido voltado a inserção do idoso com o mundo tecnológico.

Matheus Araújo, Advogado
Publicado por Matheus Araújo
há 3 anos

RESUMO: Este trabalho propõe-se a discorre sobre a inserção do idoso frente às novas tecnologias. Nos últimos anos, tem-se experimentado um rápido envelhecimento das populações, colocando os idosos como grupo etário emergente. Junto a essas transformações, vê-se a proliferação das tecnologias de comunicação e de informação. Isso tem despertado um grande interesse entre os idosos quanto ao aprendizado da informática, considerando os benefícios que ela pode oferecer às suas vidas.

PALAVRAS-CHAVE: Inserção. Idoso. Tecnologia.

INTRODUÇÃO

O presente estudo tem como objetivo abordar a relação entre o idoso e a tecnologia e as consequências trazidas por essa relação na vida desse importante público, detentor de especiais peculiaridades. Ao envelhecer o ser humano se depara com diferentes situações e precisa estar em constante aprimoramento e adaptação. Atualmente a sociedade tem a necessidade de ingressar no mundo tecnológico. Isto significa que a tecnologia vem para abrir novos horizontes a todas às gerações, que também relaciona a inclusão do idoso no mundo virtual, fazendo com que ele não se torne excluído de tamanhos avanços. Estas novidades nominadas de tecnologias da informação chegaram para ficar, e com isso os homens estão em constante processo de aprendizagem para se adaptar as possíveis mudanças. Em adição, observa-se, na sociedade contemporânea, uma valorização da informação, que se difunde de forma rápida e intensa por meio de diversas tecnologias de comunicação e de informação. Em virtude dos benefícios que a informática oferece, tem-se testemunhado um número crescente, tanto em nível mundial quanto em nível nacional, de idosos que se interessam de forma mais acentuada pelo mundo cibernético. A tecnologia amplia o acesso à informação, a qualidade de veiculação e a recepção em diferentes níveis de mídia. A facilidade e a rapidez que esse recurso proporciona às informações relativiza a questão do tempo e do espaço, bem como interfere nas relações e nos comportamentos de seus usuários.

METODOLOGIA

O presente trabalho inicia-se com o método de abordagem dedutivo em razão de se partir da tecnologia digital para analisar as possibilidades de acesso ao idoso. Em decorrência das diversas alterações oriundas do processo de envelhecimento, bem como da velocidade das transformações ocorridas no que tange a informação sobre a inclusão do idoso frente às novas tecnologias, dada à relevância e atualidade do assunto em discussão. Utiliza-se, ainda, do método de procedimento interpretativo, pois o norte da pesquisa dar-se a partir do Estatuto do Idoso. No tocante à técnica de pesquisa utiliza-se a bibliográfica e documental, em razão da utilização de doutrina e leis mais específica.

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A pesquisa versa sobre a inserção do idoso frente às novas tecnológica. Com o avanço do mundo tecnológico pode-se averiguar as constantes mudanças que são ocasionadas no meio social, referentes tanto as gerações mais jovens, quanto às mais idosas. Dessa forma, por ter esse englobamento em geral, é possível que a terceira idade sinta a necessidade de inclusão nesse âmbito tecnológico. Sendo assim, o art. 3.º inciso IV do Estatuto do Idoso dispõe que:

Art. 3º - É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

IV- viabilização das formas alternativas de participação, ocupação e convívio do idoso com as demais gerações;

Não menos importante, o artigo 21, § 1º do Estatuto do Idoso preleciona que:

Art. 21. O Poder Público criará oportunidades de acesso do idoso à educação, adequando currículos, metodologias e material didático aos programas educacionais a ele destinados.

§ 1o Os cursos especiais para idosos incluirão conteúdo relativo às técnicas de comunicação, computação e demais avanços tecnológicos, para sua integração à vida moderna.

A inclusão no mundo digital então, não é somente uma forma de inserção, porém um fator primordial para que o longevo continue sendo um sujeito ativo em suas tarefas cotidianas e que possa interpretar o cenário que o cerca. Frente a uma sociedade cada vez mais tecnológica, o idoso, também o direito ao acesso a tecnologia, a fim de se garantir a dignidade a eles, como afirma Lima, Nogueira e Burgos (2008, p. 5) “O não letrado do futuro será o indivíduo que não souber ler a nova linguagem gerada pelos meios eletrônicos de comunicação em suas práticas sociais”. Assim, é bastante pertinente inserir o idoso na perspectiva das novas tecnologias. Para Delors (2004, p. 89) “é antes, necessário estar à altura de aproveitar e explorar, do começo ao fim da vida, todas as ocasiões de atualizar, aprofundar e enriquecer estes primeiros conhecimentos, e de se adaptar a um mundo de mudanças”. Neste patamar, entende-se o quanto é importante propiciar a pessoa idosa oportunidades de se conhecer do inicio ao fim da vida as novas possibilidades, no caso, a inserção do idoso às novas tecnologias.

Por muito tempo, os idosos não receberam a devida atenção da sociedade e da família, encontrando-se muitas vezes excluídos. Entretanto, com o avançar da ciência e da medicina, a terceira idade passou a ser representada por uma maior qualidade de vida. Hoje, a pessoa idosa não vive mais, necessariamente, recolhida e recordando lembranças do passado, mas pode ser ativa, produtiva e participativa.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Nota-se que as garantias legais para a inserção do idoso frente às novas tecnologias são indicativos que apontam para oferecer várias possibilidades a essa geração. Talvez o que falta seja mais comprometimento da família em facilitar esse caminho. Acompanhar os avanços das tecnologias não é tarefa fácil, mas faz-se necessário, inclusive para a pessoa idosa. Motivar o idoso a continuar querendo aprender mesmo com suas limitações e preconceitos deve ser função da família e também da sociedade. Desse modo, o usuário idoso vislumbra alcançar uma nova consciência, capaz de resgatar a importância do eu perante um ser que antes se fazia esquecido, seja por si próprio ou pela sociedade que o rodeia, despontando uma nova maneira de avistar as coisas do mundo vivido.

Nome do Autor: Matheus de Araújo Andrade; Nome do Coautor: Beatriz Barreto Nunes; Nome da Orientadora: Maria do Socorro Nóbrega Lopes.

REFERÊNCIAS

BRASIL, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Estatuto do Idoso: Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Brasília: 2010.

LIMA, I. T. S.; NOGUEIRA, S. S. Q.; BURGOS, T. L.. Inclusão do Idoso no Mundo Digital: Realidade Mossoroense e Cenário Brasileiro. Natal. 2008.

DELORS, JACQUES. Educação: um tesouro a descobrir. 9. Ed. São Paulo: Cortez; Brasília: MEC:UNESCO, 2004.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)